Paróquia de Paulistana realiza peregrinação nos bairros da cidade

Desde o dia 25 de julho fieis saíram às ruas e bairros da cidade de Paulistana em missão, rezando em família e peregrinando com a imagem da padroeira, Nossa Senhora dos Humildes.

A peregrinação já é tradição na Paróquia e, a cada ano, é realizada com mais fervor. À assessoria de comunicação da Diocese de Picos, passou o domingo (02/08), na cidade e, acompanhou passo a passo da missão.

Às 07:00h, cerca de 80 missionários reuniram-se na casa da família do Sr. Lindér e dona Socorro no bairro Lagoa para o café comunitário e a oração da manhã. Logo após, houve a divisão dos grupos e cada um seguiu visitando as famílias dos bairros Lagoa e Santo Antônio.

Imitando as primeiras comunidades Cristã que colocava tudo em comum, às 12:00h, os missionários retornaram das visitas para a casa de Vanês e Socorro, no referido bairro, onde houve um momento de partilha sobre as alegrias e desafios vivenciados durante as visitas.

Às 15:00h, a comunidade reuniu-se para a oração da tarde na casa do casal Emanuel e Eliane. No mesmo horário, houve encontro com as crianças e os jovens na Igreja São Judas Tadeu. A programação do dia concluiu-se com a celebração da Santa Missa, às 19:00h, na casa da Sra. Gildeni Macêdo.

A experiência da Peregrinação na Paróquia começou em 1990, através do Pe. Antônio Mendes, que na época, era o pároco. No início, era realizada apenas a Missa nos bairros. A partir do ano seguinte, o sacerdote convidou uma equipe de três pessoas para visitar as famílias, com as visitas, foi aumentando a consciência do povo na valorização da Eucaristia que acontecia a cada noite em um bairro.

Mas, de acordo com informações da missionária, Maria Francisca, com a chegada do Pe. Gregório Leal Lustosa na paróquia, a missão ganhou uma nova roupagem, sendo criada uma fixa de inscrição disponibilizada na secretaria paroquial para que os missionários das demais paróquias pudessem se inscrever, aumentando assim, o número de missionários durante a peregrinação. Mediante esse contexto, a paróquia acolhe em 2012, o Padre Pio Feitosa, que expandiu ainda mais a metodologia da visita, cobrando das pastorais para que cada uma assumisse um dia de missão. Assim, foi crescendo o envolvimento da comunidade e, hoje, os missionários que participam são todos da própria paróquia. A cada dia uma pastoral é responsável pela missão, bem como a preparação e animação da liturgia.

Como fruto, um ponto que merece destaque é a celebração comunitária do matrimônio realizada durante a peregrinação. “A partir de 2013, com a semente do ECC já lançada na nossa cidade, a convite do Pe. Pio, nós casais viemos somarmos com a peregrinação ficando responsáveis por um dia. Na primeira experiência já surtiu efeitos, muitas pessoas visitadas já tinham um vínculo familiar, mas que ainda não tinha o sacramento do matrimônio, a partir do conhecimento dessa realidade, a paróquia se dispôs a realizar o matrimônio gratuitamente dessas famílias. E, hoje, esse casais que antes só assistiam a Missa, hoje, eles estão nos ajudando a evangelizar outras famílias”, disse o casal, Angélico Pereira e Gilene Pereira.

Para o pároco, Pe. Pio Feitosa, a comunhão entre os grupos e as pastorais tem feito com que a missão seja vivenciada por todos “Durante o ano inteiro temos trabalhado as pastorais colocando em comum a Pastoral de Conjunto. Hoje, nós não aceitamos nenhuma pastoral ficar fechada em si mesma. Depois que colocamos as pastorais para assumirem a missão para ser uma Igreja em saída, percebemos a unidade dentro de todas, é tanto que quando um grupo está com dificuldade, o outro grupo já estar ali para ajudar. Então, esta tem sido a metodologia que adotamos e, afirmo que vale apena investir nas pastorais”, concluiu.

A peregrinação segue até esta quarta-feira (05), dia que antecede a primeira noite do festejo em honra a Nossa Senhora dos Humildes.

Clique aqui e veja todas as fotos.

COMPARTILHE:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email