Diocese de Picos realiza Assembleia Diocesana de Pastoral

Com o objetivo de avaliar a Caminhada Pastoral do ano de 2018, propor e decidir caminhos para a ação evangelizadora, a Diocese de Picos esteve reunida em Assembleia Pastoral nos dias 9 a 11 de novembro deste ano de 2018, no Centro de Treinamento Diocesano – CTD, em Picos – PI.

O evento reuniu o bispo diocesano, padres, religiosas, seminaristas e leigos e leigas representantes das diversas pastorais, movimentos leigos e associações religiosas de todas as paróquias e áreas pastorais da Diocese. Com uma programação cheia de atividades, a assembleia foi norteada pelo o tema “Igreja missionária comprometida com os pobres e sofredores da sociedade”.No início dos trabalhos, o advogado Johilse Tomaz da Silva, apresentou uma leitura da realidade, destacando os aspectos relevantes da atual conjuntura sócio-política. Começou apresentando um vídeo no qual o Papa Francisco diz que “envolver-se na política é uma obrigação para um cristão”. E também diz: “a política é uma das formas mais altas da caridade porque busca o bem comum”. Em seguida, o assessor apresentou conceitos e índices da atual conjuntura social do país e no estado do Piauí, tomando, como exemplo, o crescimento de homicídios. “O que aponta a situação de fragilidade da família, da educação, da segurança e de políticas públicas, manifesto nas Eleições Presidenciais 2018, manobradas pelo medo e pelas fake news”, afirmou.Ainda no primeiro dia, Dom Plínio José fez uma explanação sobre os encaminhamentos das proposições da 14ª da Romaria da Terra e da Água ao Governo do Estado do Piauí e as cinco proposta priorizadas encaminhadas através da Secretaria de Planejamento (SPLAN), a saber: 1ª – revisar a lei de regularização fundiária de forma participativa; 2ª – levantar, mapear e visitar as comunidades com mais conflitos: mineração, eólica, Transnordestina, Fronteiras (prioridade em fronteiras); 3ª – realizar encontros com as empresas que atuam nos territórios; 4ª – organizar e capacitar grupos para fomentar a produção de sementes criolas; 5ª – levantar a situação do para captação de recursos para construir modelo/política de convivência no semiárido. Também falou sobre as reuniões que já aconteceram com representações do Governo do Estado: SEGOV, INTERPI, SEPLAN, SDR e da Sociedade civil organizada: CNBB – Regional Nordeste 4, CPT-PI, FETAG-PI, CARITAS (Teresina, São Raimundo Nonato, Regional), Pastoral da Criança, para criação do Grupo de Trabalho (GT) e discussões sobre os encaminhamentos.

Sobre o Documento de Fortaleza, Dom Plínio informou que o mesmo é fruto do Encontro dos Bispos do Nordeste que aconteceu, em Fortaleza – CE, no período de 07 a 09 de agosto de 2018. O Encontro teve como objetivo construir linhas comuns de evangelização para o Nordeste e despertar uma comunhão maior na Conferência Episcopal Brasileira para com as Igrejas particulares da Região Nordeste.

O Documento destaca dez recomendações e compromissos pastorais para a Igreja no Nordeste: 1 – Uma Igreja centrada na pessoa de Jesus Cristo; 2 – Uma Igreja missionária; 3 – Uma Igreja Sinodal; 4 – Uma Igreja despojada e transparente; 5 – Uma Igreja honesta e transparente; 6 – Uma Igreja atenta aos jovens; 7 – Uma Igreja consciente em sua identidade e aberto ao diálogo; 8 – Uma Igreja construtora e promotora da vida; 9 – Uma Igreja profética; 10 – Uma Igreja sacramento do Reino de Deus.No segundo dia da Assembleia, Pe. Wagner Francisco de Carvalho apresentou o tema: “Formação para a evangelização: ‘cuidar dos cuidadores”. Para o Pe. Wagner Carvalho, “um projeto diocesano de formação ajuda a superar a precipitação e o improviso pastoral e alimenta os sonhos da formação inicial presbiteral,  a boa vontade dos leigos, fortalece, educa e amadurece a fé daqueles que se colocam no seguimento e na escola dos discípulos de Jesus”, afirmou. Falou também sobre a importância de colocar-se a caminho de todo o coração, pois “a formação permanente não tem a finalidade única de auxiliar na condução daqueles que servem nas pastorais e na Igreja com o objetivo de servirem melhor. Esta é uma consequência. O princípio norteador da formação é ajudar a personalizar, interiorizar e responder aos anseios que cada um que traz em seu coração a fortalecer as respostas de fé com a qual cada um é chamado a responder”, evidenciou.

Durante a Assembleia aconteceram as votações para eleição dos coordenadores das comissões pastorais. Entre os eleitos estão: Pe. Paulo Henrique da Silva Oliveira, Coordenador Diocesano de Pastoral, Pe. Wagner Francisco de Carvalho, Coordenador do Setor Formação; Seminarista Francisco Ramires Barros Moura, Coordenador do Setor Família; Pe. Gildo Coelho de Sousa, Coordenador do Setor Juventude; Pe. Francisco de Assis Sousa, Coordenador das Pastorais Sociais; Pe. José Mairton da Silva Sousa, Coordenador da Comissão Diocesana do Dízimo; Pe. Edivaldo Silva dos Santos, Coordenador da Comissão para as Vocações; Seminarista Cláudio Santana de Carvalho, Coordenador da Comissão de Liturgia; Pe. David de Sousa Barros, Coordenador da Pastoral da Comunicação; Pe. Antônio Ismael de Holanda, Coordenador da Equipe Permanente de Campanhas; Pe. Jonas Moura Batista, Coordenador da Comissão para os Leigos; Pe. João Pereira Sousa, das Associações Religiosas; Pe. Marcos Roberto Vieira, Coordenador da Caminhada da Solidariedade e da Paz.

Clique aqui para visualizar todas as fotos

Síntese da Assembleia Diocesana de Pastoral 2018

PASCOM Diocesana

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Palavra do Bispo

Dom Plínio

Diocese de Picos

Calendário

DomSegTerQuaQuiSexSab
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹dez 2018› » 

Facebook

Share This
Assine a nossa newsletter

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!